Tailândia nega interferência na extradição de Bout para os EUA

Primeiro-ministro garantiu em programa semanal de TV que caso deve ser resolvido pelo sistema judiciário do país

Efe

29 de agosto de 2010 | 06h11

BANGCOC- O primeiro-ministro da Tailândia, Abhisit Vejjajiva, assegurou neste domingo, 29, que seu governo não interferiu no processo de extradição para os Estados Unidos do suposto traficante de armas russo Viktor Bout.

Durante seu programa semanal de televisão, o dirigente disse que o caso deverá ser resolvido pelo sistema judiciário do país e assegurou que "não houve nenhuma interferência do governo".

Abhisit disse que o caso está sob consideração da justiça e que ninguém sabe por enquanto qual será sua decisão.

Na quarta-feira a Promotoria paralisou a extradição de Bout, de 43 anos, quando a polícia ia levá-lo ao avião privado que esperava no aeroporto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.