Tailândia: suíço que pichou retrato de rei ficará 10 anos preso

Um tribunal tailandês condenou nesta quinta-feira, 29, o suíço Oliver Rudolf Jufer a 10 anos de prisão por riscar com tinta preta cinco retratos oficiais do rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, considerado quase divino pela população.Jufer foi acusado pela Promotoria de Chiang Mai, no norte do país, por crime de lesa-majestade. A legislação prevê penas que vão de três a 15 anos de prisão.O juiz Phitsanu Tambulakee disse, após ler a sentença, que o acusado foi condenado a uma pena menor que a solicitada pelo promotor, que era de 75 anos de prisão, por admitir que errou.O acusado foi detido em dezembro em Chiang Mai depois de pichar o rosto do rei em cinco retratos colocados na rua por ocasião das festas de comemoração de seus 79 anos.Jufer, de 57 anos, mora há vários anos na Tailândia. Ele confessou à polícia que cometeu os atos quando estava embriagado.O caso foi silenciado pela maior parte da imprensa tailandesa por recomendação policial, para minimizar ações de falta de respeito ao rei Bhumibol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.