Kin Cheung/AP
Kin Cheung/AP

Taiwan chama seu enviado em Tóquio por causa de ilhas

Governo de Taiwan diz que a nacionalização das ilhas pelo Japão 'viola a soberania nacional'

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2012 | 10h13

TAIPÉ - O governo de Taiwan disse nesta terça-feira,11, que chamou seu enviado no Japão como protesto contra a compra, pelo governo japonês, de ilhas reivindicadas também por Taipé e Pequim.

"Nós condenamos severamente a nacionalização, pelo Japão, das ilhas Diaoyu, o que é uma ação ilegal que viola a soberania nacional" de Taiwan, disse o ministro de Relações Exteriores, Timothy Yang, em comunicado.

"Exigimos que o governo japonês revogue esta medida. A ação unilateral e ilegal do Japão não pode mudar o fato de que a República da China (o nome oficial de Taiwan) é proprietária da ilhas Diaoyu."

O enviado de Taiwan no Japão, Shen Ssu-tsun, foi instruído a apresentar um protesto em Tóquio, diz o comunicado, acrescentando que ele foi chamado de volta para relatar o incidente do Ministério de Relações Exteriores.

A estatal Agência Central de Notícias informou que Shen deve voltar a Taipé na quarta-feira. As declarações de Yang foram feitas depois de o governo japonês anunciar que concluiu a compra das ilhas, localizadas no leste do Mar da China e conhecidas como Diaoyu, em chinês, e Senkaku, em japonês.

As ilhas têm sido o centro de uma disputa territorial entre Japão e China há tempos, mas recentemente o assunto ganhou destaque depois que ativistas do dois lados foram até o arquipélago no mês passado. Elas ficam a cerca de 160 quilômetros de Okinawa e a cerca de 200 quilômetros de Taiwan, numa importante rota de navegação e, acredita-se, estão localizadas perto de grandes campos de gás. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁsiadisputailhasTaiwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.