Reuters
Reuters

Taiwan desiste de resgatar corpos de vítimas do tufão Morakot

Mais de 291 pessoas morreram e outras 387 estão desaparecidas após a passagem do fenômeno pela ilha

24 de agosto de 2009 | 07h53

As autoridades de Taiwan não vão tentar recuperar os corpos de centenas de pessoas soterradas por um deslizamento de terra neste mês, e a cena do desastre será transformada em um memorial, disse um líder local nesta segunda-feira, 24. A contagem oficial de perdas após a passagem do tufão Morakot está em 291 mortos e 387 desaparecidos.

 

O parque, de valor estimado em cerca de US$ 3 milhões e com inauguração prevista em um ano, deve ficar em cima do deslizamento de terra e servirá de memorial à vila que estava ali, disse o prefeito Liu Chien-fang. "A vila tinha um caráter especial como distrito de Pingpu", disse Liu à Reuters, descrevendo o grupo étnico local no vilarejo de Hsiao Lin, no condado de Kaohsiung. "As casas eram especiais, assim como os costumes locais e os hábitos. É triste que nada tenha sobrado".

 

Os habitantes dos vilarejos acusam o governo de não estar sendo rápido o suficiente no resgate das vítimas e o criticam pela lentidão na evacuação da população afetada. A aprovação do presidente de Taiwan, Ma-Ying-jeou, caiu para menos de 20% na semana passada, mesmo após ele ter visitado as áreas mais atingidas e ter prometido um programa de reconstrução no valor de US$ 3 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
MorakotTaiwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.