Taiwan e China terão encontro histórico, mas devem evitar temas sensíveis

O ministro de Taiwan para assuntos relacionados à China vai se encontrar em fevereiro com o vice-ministro do Exterior chinês, responsável pelas relações com Taiwan, no que vai ser a reunião oficial de nível mais alto entre os dois lados desde 1949, mas, segundo disse o ministro de Taiwan nesta terça-feira, eles não vão discutir "temas políticos sensíveis".

MIAOJUNG LIN, Reuters

28 de janeiro de 2014 | 11h17

O encontro de 11 a 14 de fevereiro entre o ministro de Assuntos Continentais de Taiwan, Wang Yu-chi, e o vice-ministro de Exterior da China, Zhang Zhijun, que chefia o Escritório para Assuntos de Taiwan, será um grande passo para ampliar o diálogo entre os dois lados para além de temas econômicos e de comércio.

O Partido Comunista da China, desde que assumiu o poder em 1949, considera Taiwan uma província renegada e nunca descartou o uso de força para submeter a ilha ao seu controle. Os laços econômicos entre os dois territórios aumentaram bastante nos anos recentes.

"A viagem não vai tratar de temas políticos altamente sensíveis", disse Wang à imprensa.

Em outubro, o presidente da China, Xi Jinping, afirmou que uma solução política para o impasse não poderia ser adiada eternamente. No entanto, o presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, disse depois não ver urgência para diálogo político e defendeu o foco em comércio.

O objetivo do encontro, segundo Wang, é criar "um mecanismo de comunicação para evitar mal-entendidos".

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATAIWANCONVERSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.