Taiwan e China trocam espiões presos após encontro histórico de presidentes

Taiwan trocou espiões presos com a rival China, em um gesto de boa vontade sem precedentes que se seguiu ao encontro histórico neste mês entre os líderes dos dois lados, informou o governo da ilha nesta segunda-feira.

REUTERS

30 de novembro de 2015 | 10h15

A China soltou o coronel Zhu Gongxun e o coronel Xu Changguo, da Inteligência Militar de Taiwan, depois de terem permanecido presos por mais de nove anos, enquanto Taiwan deu liberdade condicional antecipada para o espião chinês Li Zhihao, de acordo com um comunicado do gabinete do presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou.

"Isto é baseado em um gesto de boa vontade mútua decorrente do encontro entre Ma e Xi", disse o porta-voz presidencial, Charles Chen, no comunicado.

"O presidente Ma espera que os intercâmbios mútuos através do Estreito possam prosseguir e haja conquistas mais concretas no futuro", acrescentou Chen.

O Escritório de Assuntos de Taiwan, na China, confirmou a soltura de Zhu e Xu, dizendo que os dois tinham cumprido pena por prejudicar a segurança nacional do continente.

Ma e o presidente chinês, Xi Jinping, se reuniram em novembro, no primeiro encontro de presidentes das duas partes em mais de 60 anos, para as negociações em meio ao crescente sentimento antichinês em Taiwan.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATAIWANTROCAESPIOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.