Taiwan: manifestantes voltam a pedir a destituição do presidente

A oposição taiwanesa promoveu hoje, em um dia chuvoso em Taipé, sua última manifestação contra o presidente do país, Chen Shui-bian, antes da votação, nesta terça-feira, de uma moção parlamentar de cassação.Os organizadores do ato fizeram uma chamada ao líder taiwanês para que reconheça sua responsabilidade moral e política em uma série de escândalos que levaram à prisão de seu genro e de um de seus colaboradores, acusados de vazamento de informação privilegiada e de corrupção.A manifestação faz parte de uma série de mobilizações que foram iniciadas há um mês e que incluem marchas semanais no norte e no sul da ilha, além do recolhimento de mais de um milhão de assinaturas pedindo a destituição de Chen.O presidente taiwanês garantiu na última terça-feira, em um pronunciamento de duas horas, que não tem relação alguma com os escândalos e que sua gestão foi eficiente e limpa, e acusou a oposição de boicotar seu mandato e de desencadear a instabilidade política no país.A detenção, no final de maio, do genro de Chen, Chao Chien-ming, e as acusações contra sua esposa de recebimento de bônus milionários de lojas de departamento em troca de apoio em uma causa empresarial são considerados os desencadeadores da campanha para destituir Chen. A moção de cassação que será votada na terça-feira necessita de 147 votos para ser aprovada e levar à convocação de um plebiscito sobre a destituição do presidente. Entretanto, os partidos opositores que promovem a medida só dispõem de 111 das 221 cadeiras parlamentares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.