Taiwan pode ter até 600 soterrados

Tufão Morakot causa deslizamento em vilarejo; tempestades na China, Filipinas e Japão deixam mais de 50 mortos

AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

11 de agosto de 2009 | 00h00

Um deslizamento de terra provocado pela passagem do tufão Morakot pode ter soterrado até 600 pessoas no vilarejo de Shiao Lin, no sul de Taiwan, segundo funcionários de emergência. O tufão e tempestades tropicais vêm provocando desastres na Ásia desde sexta-feira. Mais de 50 pessoas morreram em Taiwan, China, Filipinas e Japão. No domingo, o governo chinês retirou 1 milhão de pessoas de cidades que poderiam ser atingidas pelo Morakot.Autoridades taiwanesas informaram que por causa dos fortes ventos e da tempestade o resgate em Shiao Lin - que fica numa região montanhosa - só poderia ser feito com helicópteros. Os socorristas conseguiram resgatar apenas 100 dos 1.300 habitantes, pois o trabalho teve de ser suspenso por causa do mau tempo. Como os helicópteros não conseguiram pousar, passaram a lançar mantimentos para os sobreviventes."Não sabemos ainda quantas pessoas estão soterradas, mas as casas estão totalmente sob a terra", disse o general Richard Hu, que participa dos resgates. "A lama cobriu uma grande parte do vilarejo, incluindo um escola primária", disse o sobrevivente Lin Chien Chung. "Uma parte da montanha simplesmente desabou sobre nós."PREJUÍZOSO governo de Taipé confirmou que o tufão, que provocou as piores enchentes em mais de 50 anos, matou 15 pessoas, feriu 55 e causou prejuízos de até US$ 128 milhões. Antes de chegar em Taiwan, o Morakot passou pelas Filipinas, onde pelo menos 22 pessoas morreram.Com ventos de até 118 km/h, o tufão, então, seguiu para a China, onde pelo menos 5 pessoas - entre elas uma criança - morreram e até 2 mil casas foram destruídas nas províncias de Zhejiang e Fujian, segundo a agência de notícias Nova China. Um "alerta vermelho" foi emitido em Zhejiang e o governo local ordenou que 35 mil barcos retornassem ao porto, segundo o jornal China Daily. Os aeroportos foram fechados e a polícia bloqueou mais de 50 rodovias. Os prejuízos provocados pelo tufão em território chinês devem ultrapassar os US$ 322 milhões. As fortes chuvas e um deslizamento provocados pelo Morakot derrubaram na madrugada de hoje seis prédios de quatro andares em Pengxi, na Província de Zhejiang. As autoridades não souberam dizer quantas pessoas podem ter sido soterradas. No Japão, a tempestade tropical (um estágio antes de se transformar em tufão) Etau aproximou-se rapidamente da costa, obrigando mais de 47 mil pessoas a abandonar suas casas no oeste do país, segundo a rede de notícias NHK. Uma das cidades mais atingidas foi Hyogo, onde ao menos 12 pessoas morreram. Uma mulher de 68 anos morreu em Okayama, após um deslizamento de terra destruir sua casa. "A água chegou de repente. Eu me agarrei em um poste e fiquei esperando ajuda por uma hora e meia", disse um dos sobreviventes à NHK. O serviço de meteorologia do Japão informou que a Etau pode atingir o centro do país ainda hoje e alertou para a possibilidade de inundações e ventos de até 126 km/h. Tufões e tempestades tropicais costumam atingir Japão, China, Taiwan, Filipinas e outros países da região anualmente, no segundo semestre, quando ganham força no Oceano Pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.