Taiwan prende general acusado de espionar para a China

TAIPEI

, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2011 | 00h00

O governo de Taiwan anunciou ontem que prendeu um general do Exército acusado de ser um espião da China. O caso foi classificado pelo Ministério da Defesa de Taiwan como o "mais grave em meio século" e demonstra como ainda é grande a desconfiança entre Taipei e Pequim apesar da melhora das relações entre os dois lados.

O general Ho Hsien-che, de 51 anos, é acusado de recolher informações de inteligência para os chineses durante os últimos seis anos. Acredita-se que ele seja o militar de maior patente já acusado de espionar para Pequim.

De acordo com as autoridades de Taiwan, o general ficou fora da ilha entre 2002 e 2005, período no qual teria iniciado suas atividades de espionagem. Ele teria sido recrutado pela China em 2004. Ho foi detido em janeiro e, no momento de sua prisão, coordenava o serviço de telecomunicações do Exército.

Ainda é cedo para avaliar os danos provocados pelas atividades do general, mas por causa da sensibilidade dos assuntos que ele tratava, os resultados de sua suposta espionagem podem ser "sérios", afirmou uma fonte próxima ao caso que pediu para não ser identificada.

China e Taiwan espionam-se mutuamente desde 1949, quando os comunistas tomaram o controle da China. Taiwan, que está sob o controle de forças nacionalistas, tornou-se independente de fato neste ano, embora Pequim ainda considere a ilha rebelde como parte de seu território, e não exclui o uso da força para reintegrá-la. Desde sua eleição, em 2008, o presidente de Taiwan, Ma Ying-jeu, defende uma melhora das relações com a China, tentando amenizar as tensões com Pequim. Embora haja acordos econômicos entre as duas partes, ainda há atritos na questão militar. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.