Talabani é criticado por pedir longa presença das tropas dos EUA

A Comissão de Ulemás Muçulmanos, máximaautoridade sunita no Iraque, e vários parlamentares xiitascriticaram o presidente iraquiano, o curdo Jalal Talabani, por pedirque as tropas americanas permaneçam no Iraque durante um longoperíodo. Em recente entrevista ao jornal americano The Washington Post,Talabani expressou seu desejo de que as tropas americanas permaneçamdurante um "longo período no Iraque para proibir qualquer tipo deinvasão estrangeira do país". Talabani afirmou também que o Iraque precisa de duas bases aéreasamericanas, que poderiam ficar no norte do país. A organização de ulemás considerou, em comunicado divulgado nesta quarta-feira,que as declarações de Talabani expressam um desejo americano. Segundo a nota, que cita o porta-voz da comissão, Abdul Salamal-Qubeisi, "estas declarações não expressam a opinião de todo opovo iraquiano". Qubeisi pediu também que o presidente iraquiano retire suaspalavras, já que "não tem o direito de controlar o desejo do povoIraquiano". O deputado xiita Bahaa Al Arayi, do bloco do clérigo Moqtadaal-Sadr, disse que as declarações de Talabani não representam ogoverno de Bagdá. "Nós, no Parlamento, representamos a vontade do povo, que estácontra a presença das tropas de ocupação no país, seja a longo ou acurto prazo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.