Talebã tem novo líder no Paquistão, diz vice

Hakimullah Mehsud vai substituir Beitullah Mehsud, morto em ataque aéreo americano.

BBC Brasil, BBC

22 de agosto de 2009 | 11h18

O vice-líder do Talebã no Paquistão afirmou à BBC que o grupo já tem um novo líder no país.

Maulvi Faki Mohammed disse que Hakimullah Mehsud, aliado próximo a Beitullah Mehsud, ex-líder morto em um ataque aéreo americano no início do mês, foi escolhido por unanimidade para assumir o comando do grupo durante um conselho que durou dois dias.

A informação sobre a morte de Baitullah Mehsud vinha sendo negada, mas foi confirmada pelo principal porta-voz do grupo, Maluvi Omar, preso esta semana.

O novo líder é conhecido por ser tão "cruel" quanto Mehsud, e até mais imprudente. Segundo analistas, ele pode representar uma ameaça ainda maior ao Paquistão e às tropas internacionais que atuam na fronteira com o Afeganistão.

Maulvi Faki Mohammed insiste que Beitullah Mehsud ainda está vivo, porém seriamente doente. Seu desejo, segundo ele, é ver seu sucessor ser nomeado enquanto ele está vivo.

A declaração é, no entanto, considerada por muitos como uma confirmação de que Mehsud está, de fato, morto.

Com a possível morte do líder e a prisão de Omar, o Exército paquistanês espera minar a organização do Talebã no país.

Acredita-se que Mehsud comandasse até 20 mil militantes pró-Talebã no país.

O líder do grupo no Paquistão ganhou projeção internacional após o cerco à Mesquita Vermelha de Islamabad, em 2007, quando as forças de segurança paquistanesas enfrentaram e expulsaram do local estudantes militantes leais a Mehsud.

Ele foi acusado pelos governos do Paquistão e dos Estados Unidos como mentor de uma série de atentados suicidas a bomba no país e também por ataques a forças de segurança ocidentais na fronteira com o Afeganistão.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.