Taleban ameaça atacar grupo humanitário no Paquistão

O Taleban avisou hoje que pode lançar ataques contra estrangeiros que ajudam as vítimas das piores enchentes da história do Paquistão, afirmando que a presença dessas pessoas é "inaceitável". A Organização das Nações Unidas (ONU) disse que não será intimidada por ameaças violentas.

AE-AP, Agência Estado

26 de agosto de 2010 | 15h29

O grupo militante já atacou trabalhadores humanitários em outros momentos, mas novos episódios de violência podem prejudicar os trabalhos de socorro, que já tem problemas em chegar às oito milhões de pessoas que precisam de assistência emergencial.

Azam Tariq, porta-voz do Taleban, disse que os Estados Unidos e outros países que prometeram apoio ao Paquistão não estão realmente concentrados em fornecer ajuda às vítimas das enchentes, mas têm outros motivos, que o porta-voz não especificou.

"Por trás do pano eles têm certas intenções, mas, na aparência, estão falando de assistência e ajuda", disse Tariq à Associated Press por telefone, de um local não divulgado. "Nenhuma assistência está chegando às pessoas afetadas e, se as vítimas não recebem ajuda, esta horda de estrangeiros não é aceitável de forma alguma por nós."

Vários países prometeram quase US$ 800 milhões e enviaram trabalhadores humanitários para ajudar o Paquistão a lidar com as enchentes que começaram quase um mês atrás com as chuvas de monções e atingiram uma grande parte do país.

O porta-voz da ONU Maurizio Giulano disse que a organização não será intimidada por ameaças. "Há muito trabalho a fazer e milhões de pessoas que precisam de nosso auxílio", disse. "Consideramos desumano que alguém ataque a nós e a nosso trabalho, efetivamente prejudicando milhões de pessoas cujas vidas lutamos para salvar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.