Taleban ameaça matar novos reféns afegãos

O Taleban ameaçou matar quatro funcionários médicos afegãos e o motoristas deles caso o governo não liberte dois comandantes da milícia fundamentalista, um dia depois de ter degolado Ajmal Naqshbandi, um tradutor afegão capturado no mês passado junto com o repórter italiano Daniele Mastrogiacomo.O repórter do jornal La Repubblica foi solto em 19 de março em troca da libertação de cinco presos taleban. A troca foi muito criticada nos meios conservadores italianos.O governo do presidente afegão Hamid Karzai recusou-se a negociar a libertação do motorista capturado com Mastrogiacomo, o afegão Sayed Agha, e ele também acabou degolado no mês passado.Agora, o Taleban anunciou ter seqüestrado um médico, três enfermeiras e o motoristas deles em 27 de março na província de Kandahar, e quer trocar os afegãos por dois de seus comandantes presos. "Se o governo não libertar nossos dois comandantes, então vamos dar a mesma punição que demos a Ajmal (Naqshbandi)", anunciou Shahabuddin Atal, que diz falar em nome do comandante taleban Mulá Dadullah, à Associated Press.Naqshbandi, um jornalista free lance, Mastrogiacomo e o motorista foram capturados em 5 de março na província de Helmand, vizinha de Kandahar.A onda de seqüestros tem sublinhado a falta de lei no sul do Afeganistão, onde o Taleban permanece forte, apesar da presença de milhares de tropas da Otan."Em troca do jornalista italiano, o governo afegão e estrangeiros entregaram cinco talebans. Ele era um jornalista estrangeiro", avaliou Atal por telefone."Quando pedimos por uma troca dos dois comandantes taleban pelo jornalista afegão, o governo afegão não respondeu, e nem tentou negociar a libertação de Ajmal", acrescentou. Isto prova que "esse governo está trabalhando apenas para os estrangeiros, não para os afegãos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.