Taleban americano é condenado a 20 anos de prisão

Um tribunal federal distrital norte-americano sentenciou John Walker Lindh, o "taleban americano", a 20 anos de prisão por ter combatido ao lado do regime islâmico do Afeganistão e da organização terrorista Al-Qaeda. Lindh havia feito um acordo com os procuradores públicos, dizendo-se culpado e concordando em colaborar com as autoridades, em troca de não ser sentenciado à morte ou à prisão perpétua. Em declaração de 20 minutos que fez hoje no tribunal, Lindh, de 21 anos, disse estar arrependido de ter se juntado ao Taleban e afirmou que não teria feito isso se soubesse que o regime afegão abrigava terroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.