Parwiz/Reuters
Parwiz/Reuters

Taleban anuncia que apoiará e facilitará vacinação no Afeganistão

Campanha de imunização ocorrerá em meio à violência no país, que vai receber vacinas de programa da OMS

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2021 | 18h24

CABUL - O movimento militante Taleban manifestou seu apoio à campanha de vacinação contra o novo coronavírus no Afeganistão, que recebeu uma promessa de US $ 112 milhões do programa Covax da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A campanha de imunização ocorrerá em meio à violência no país, apesar de o governo e os insurgentes do Taleban terem iniciado negociações de paz em setembro.

O porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid, disse à agência Reuters que o grupo “apoiará e facilitará” a campanha de vacinação conduzida por meio dos centros de saúde. As autoridades acreditam que os insurgentes não visarão as equipes de vacinação, pois elas não irão de porta em porta.

Ao anunciar o financiamento da OMS, um funcionário de saúde afegão disse que o programa cobrirá 20% da população do país, de 38 milhões.

O programa Covax é um esquema global para vacinar pessoas em países pobres e de renda média contra o novo coronavírus. Seu objetivo é entregar pelo menos 2 bilhões de doses de vacina até o final de 2021 para cobrir 20% das pessoas mais vulneráveis em 91 países.

O Afeganistão registrou 54.854 infecções e 2.390 mortes, mas especialistas dizem que os casos são significativamente subnotificados em razão dos poucos exames e acesso limitado a instalações médicas no país devastado pela guerra.

Além da Covax, o país também recebeu a promessa de 500 mil doses da vacina AstraZeneca produzida na Índia, disse à Reuters o dr. Ghulam Dastagir Nazari, chefe do Programa Expandido de Imunização do Ministério da Saúde do Afeganistão.

“A marca AstraZeneca que é fabricada na Índia chegará em breve ao Afeganistão”, disse Nazari, acrescentando que o governo só estava preocupado com a aprovação da vacina pela OMS e o processo de pré-qualificação já foi iniciado.

Uma fonte do governo indiano confirmou que 500 mil doses foram reservadas para o Afeganistão e outro funcionário disse que o primeiro lote de vacinas chegaria em fevereiro, embora Cabul ainda não tenha adotado os protocolos para administrá-las.

O Banco Mundial e o Banco Asiático de Desenvolvimento também disseram que financiarão vacinas para outros 20% da população até o final de 2022, informou a porta-voz do Ministério da Saúde, Masouma Jafari. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.