Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Parwiz/Reuters
Parwiz/Reuters

Taleban ataca delegação afegã que visitava zona do massacre

Talebans lançaram dois projéteis e causaram ferimentos em três pessoas, entre civis e policiais

Efe,

13 de março de 2012 | 07h33

CABUL - O Taleban atacou nesta terça-feira, 13, uma delegação oficial afegã que visitava a zona no sul do país onde no último domingo ocorreu o massacre de 16 civis pela ação de um militar americano, informou uma fonte oficial à Agência Efe.

Veja também:

linkObama se diz entristecido por mortes

tabela Dez anos de guerra no Afeganistão

"Os insurgentes abriram fogo desde vários pontos contra a delegação afegã que visitava o povoado de Balandi Pul", disse um líder tribal do distrito de Panjwai, Hajj Hagha Lalai Dasgeri, que faz parte da delegação.

Dasgeri precisou que os talebans lançaram dois projéteis e causaram ferimentos em três pessoas, entre civis e policiais, embora ninguém da delegação tenha sido atingido.

A delegação está a cargo da investigação sobre o massacre e dela participam dois irmãos do presidente afegão, Abdul Qayum Karzai e Shah Wali Karzai, e o governador de Kandahar, Toryalay Wessa, entre outras autoridades.

"Os irmãos de Karzai e eu deixamos o local assim que começaram os disparos", explicou o líder tribal.

Dasgeri acrescentou que o ataque já cessou e que as forças de segurança afegãs tomaram o controle da zona onde o tiroteio teve início.

O massacre de Kandahar ocorreu na madrugada de domingo pela ação, segundo as autoridades americanas, de um militar dos Estados Unidos que, sob aparente crise nervosa, saiu de sua base e iniciou uma incursão armada por casas das redondezas.

Nesta segunda-feira, no entanto, um grupo de líderes tribais denunciou que o massacre é na realidade uma "vingança" pela explosão de uma bomba registrada na zona à passagem de um veículo das tropas americanas, e que foi perpetrado por mais de um soldado. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanAfeganistãomassacre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.