Taleban ataca procissão xiita e mata 23 pessoas

Um membro do grupo Taleban lançou hoje um ataque suicida contra uma procissão de muçulmanos xiitas nos arredores da capital do Paquistão, matando 23 pessoas e deixando 62 feridos, no mais recente de uma série de atentados ocorridos em novembro, sagrado para este ramo do islamismo. Segundo autoridades locais, a explosão aconteceu por volta da meia-noite (horário local) na cidade de Rawalpindi.

AE, Agência Estado

22 de novembro de 2012 | 10h02

O oficial da polícia Haseeb Shah disse que os agentes de segurança tentaram parar e revistar o homem-bomba antes de ele se infiltrar na procissão e detonar os explosivos.

A rede de televisão local registrou cenas que se sucederam após o ataque, com os xiitas batendo nas próprias cabeças e peitos em um sentimento de angústia. "Era como se o mundo estivesse acabando", disse uma das vítimas, Nasir Shah, descrevendo a explosão. Ele foi tratado em um hospital da região com ferimentos nas mãos e pernas.

Ontem, o Taleban acionou duas bombas perto de um mosteiro xiita na cidade de Karachi, matando uma pessoa e ferindo outras 15.

O porta-voz do Taleban paquistanês, Ahsanullah Ahsan, assumiu a responsabilidade pelos ataques em Rawalpindi e Karachi. "Nós temos uma guerra de crenças contra os xiitas", disse Ahsan à Associated Press por telefone. "Eles são blasfemadores. Nós vamos continuar a atacá-los".

O cisma entre sunitas e xiitas sobre o verdadeiro herdeiro do profeta Maomé vem desde o século VII. Os xiitas estão participando do mês sagrado de Muharram. O dia mais sagrado do culto, Ashura, acontecerá no próximo sábado, quando é comemorado o aniversário de 700 anos da morte de Imam Hussein, neto do profeta Maomé.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoataqueTalebã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.