AP/Arquivo
AP/Arquivo

Taleban atribuem a hacker anúncio da morte do mulá Omar

Insurgentes dizem que mulá está vivo no Afeganistão e 'ocupado com a guerra santa'

Efe

20 de julho de 2011 | 08h33

CABUL - Os taleban afegãos desmentiram nesta quarta-feira, 20, a morte de seu líder, o mulá Omar, depois que "um inimigo do povo afegão" enviou um comunicado anunciando o falecimento após sabotar os telefones e o site dos porta-vozes insurgentes.

 

"Nossa página foi invadida por um inimigo do povo afegão que enviou a mensagem de sua morte em nosso nome. Mas Omar está vivo, dentro do Afeganistão e ocupado na guerra santa", disse à Agência Efe o porta-voz taleban Zabiulá Mujahid.

 

O anúncio da morte do mulá Omar tinha sido enviado de manhã desde o telefone de Mujahid aos principais veículos da imprensa afegã e se espalhou rapidamente nas redes sociais antes que os porta-vozes insurgentes se preparassem para desmentir a informação.

 

Os taleban mantêm uma ativa presença na internet e em foros jihadistas, embora tanto seu portal como suas contas em diferentes serviços de informação apresentem falhas com frequência: a mensagem com a morte de Omar apareceu também em seu site, agora inacessível.

 

"A equipe técnica da comissão de Informação e Cultura do Emirado Islâmico (o nome que os taleban dão a seu regime) iniciou uma investigação sobre este latrocínio do inimigo e sua suja utilização", disse outro porta-voz insurgente, Mohammed Yousef Ahmadi.

 

Esta é a segunda vez em poucos meses que é divulgado um anúncio sobre a morte do mulá Omar: em maio, uma fonte do serviço secreto do Afeganistão fez o mesmo, mas a informação foi desmentida pelos insurgentes e por outras agências.

 

Os taleban indicam que Omar está escondido em algum lugar do sul afegão, mas no passado seu paradeiro foi situado perto de Quetta (oeste do Paquistão).

 

Omar liderou o governo taleban do Afeganistão entre 1996 e 2001, mas foi derrubado durante a invasão americana após os ataques terroristas do 11 de Setembro, e desde então lidera o movimento insurgente contra as tropas internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanAfeganistãomuláOmarhackers

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.