Taleban compra crianças para missões suicidas

Vídeo mostra garotos, alguns com 11 anos, treinando no Paquistão

Reuters, ISLAMABAD, O Estadao de S.Paulo

08 de julho de 2009 | 00h00

Um dos principais líderes do Taleban no Paquistão está comercializando crianças treinadas para cometer atentados suicidas, informaram ontem autoridades paquistanesas e americanas à CNN. Baitullah Mehsud, senhor da guerra da região do Waziristão, na fronteira com o Afeganistão, estaria instruindo os jovens em campos de treinamento para vendê-los depois a outros líderes taleban por preços que variam de US$ 6 mil a US$ 12 mil.Militares paquistaneses distribuíram um vídeo que mostra crianças treinando para missões suicidas em uma localidade não identificada. Segundo o governo de Islamabad, algumas delas teriam 11 anos. Por serem capazes de passar despercebidas por lugares sob forte segurança, as crianças atraíram a cobiça dos insurgentes islâmicos, segundo funcionários do governo paquistanês. "Se uma criança se aproxima a pé, há uma boa chance de ela ultrapassar a segurança", afirmou o general Akhtar Abbas, porta-voz do Exército do Paquistão."Mehsud tem admitido que administra um campo de treinamento para garotos com o objetivo de prepará-los para missões suicidas. Há registros dele falando isso abertamente, admitindo os crimes", disse Abbas.ANALFABETOAcusado pela morte da ex-premiê Benazir Bhutto, em 2007, e pelo atentado ao Hotel Marriott, de Islamabad, em 2008, Mehsud estaria no comando de cerca de 20 mil militantes em uma zona conhecida por abrigar membros da Al-Qaeda. O Departamento de Estado dos EUA oferece US$ 5 milhões pela cabeça do líder taleban - que teria cerca de 35 anos, seria diabético e, muito provavelmente, analfabeto. A revista Time colocou Mehsud em sua lista das "100 pessoas mais influentes do mundo". O senhor da guerra, segundo a Time, seria "um ícone da jihad global". A rede comandada pelo líder do Taleban já estaria usando crianças em seus ataques, de acordo com informações dos EUA e do Paquistão, que não puderam ser confirmadas. Islamabad garante que está tentando fechar o cerco a Mehsud e diz esperar que a captura do líder islâmico reduza o tráfico de crianças na zona de guerra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.