Taleban decapitou 12 civis no leste do Afeganistão

O Taleban decapitou 12 civis afegãos, a maioria familiares de policiais locais. O ataque é parte de uma ofensiva de semanas que já matou 60 pessoas na remota província de Gázni, no leste do Afeganistão, informaram autoridades nesta sexta-feira.

Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2014 | 12h20

De acordo com o chefe da polícia da província de Gázni, Asadullah Ensafi, o Taleban capturou e decapitou 12 civis e incendiou cerca de 60 casas em um ataque na noite de quinta-feira no distrito de Arjistan, na província de Gázni. A região montanhosa fica a cerca de 100 quilômetros ao sudoeste da capital, Cabul. Não há tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no local. Autoridades afegãs afirmaram que acreditam que mulheres e crianças estejam entre os motos.

Na última semana, o Taleban atacou diversos vilarejos no distrito de Arjistan, afirmou Ensafi, e batalhas na área continuam nesta sexta-feira. Durante a manhã, o Taleban detonou um carro-bomba em frente a um acampamento onde cerca de 40 policiais afegãos estavam, matando pelo menos oito deles, informou o governador da província, Mohammad Ali Ahmadi. Enfasi disse que não foi imediatamente possível chegar à área para determinar o número exato de mortes porque os insurgentes colocaram minas nas estradas.

Ahmadi, que também confirmou as decapitações, disse que o ataque e o carro-bomba levaram o número de mortes na ofensiva do Taleban para 60. As vítimas incluem tanto civis quanto policiais. O governador também informou que tropas foram levadas de Cabul para a área para lutar contra o Taleban e prevenir que o distrito seja completamente dominado pelos insurgentes.

A violência aumentou durante a ofensiva anual do Taleban, que neste ano será um importante medidor de como as forças do governo afegão serão capazes de enfrentar ataques de insurgentes diante da retirada de parte das forças de combate estrangeiras no fim do ano. Decapitações são raras no Afeganistão, ainda que ocasionalmente aconteçam como parte da campanha do Taleban para intimidar e se vingar de familiares de soldados afegãos e de forças de segurança. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Afeganistãoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.