Taleban diz ter matado refém polonês no Paquistão

Militantes do Taleban no Paquistão disseram hoje ter matado um geólogo polonês que havia sido sequestrado há quatro meses no noroeste do país. O grupo supostamente matou o refém após o fracasso de uma troca de prisioneiros com o governo. A morte não foi confirmada oficialmente, mas o primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, disse que Varsóvia havia recebido uma notícia "informal" sobre o assassinato. "Esperamos que não seja verdade, mas não estamos otimistas e tememos que, infelizmente, uma tragédia possa ter ocorrido", disse Tusk.Piotr Stanczak foi capturado em 28 de setembro, em um dos vários ataques a estrangeiros, incluindo sequestros, que ilustraram o poder emergente de militantes do Taleban na fronteira paquistanesa com o Afeganistão. Segundo um porta-voz do Taleban, o polonês foi assassinado porque o governo deixou expirar o prazo para a libertação de 26 prisioneiros. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Paquistão, Abdul Basit, disse que as autoridades ainda estavam tentando descobrir se o assassinato realmente ocorreu.

AE-AP, Agencia Estado

07 de fevereiro de 2009 | 17h26

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoTalebanrefém

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.