Taleban faz nova ameaça com milhares de homens bomba

Milhares de homens-bomba do Taleban estão espalhados pelo Afeganistão para atacarem tropas ocidentais e locais, disse nesta segunda-feira, 2, o comandante militar do grupo.Falando à Reuters por telefone, de local não revelado, o mulá Dadullah disse que os guerrilheiros islâmicos têm capacidade e armas para combater as tropas estrangeiras durante muito tempo. "Enviamos milhares de homens-bomba do Taleban a todas as cidades afegãs para ataques a tropas estrangeiras e a seus fantoches afegãos", disse Dadullah. "E vamos transformar nossa pátria no cemitério das forças dos EUA, e suas famílias devem esperar por seus cadáveres. A guerra do Taleban é só pela liberdade do Afeganistão em relação aos inimigos dos muçulmanos." O ano passado foi o mais violento no Afeganistão desde a queda do regime islâmico do Taleban, em 2001, e 2007 é considerado por muitos como um período decisivo tanto para o grupo quanto para as tropas comandadas pelos EUA.Ferramenta psicológicaO ministério afegão da Defesa disse que o mulá Dadullah está exagerando. "Temos dois tipos de guerra: a guerra cara-a-cara e a guerra psicológica. O Taleban tem homens-bomba, mas não há dúvida de que estão exagerando os números e usando isso como ferramenta psicológica", afirmou. Os ataques suicidas, copiados dos militantes do Iraque, aumentaram dramaticamente em 2006. No domingo, um ataque a um comboio do Exército local em Laghman (leste) matou nove pessoas, inclusive crianças e dois soldados. Após sofrer pesadas baixas no ano passado em encarniçados confrontos convencionais contra forças da Otan, o Taleban está voltando à sua tradicional tática de guerrilha, especialmente com atentados suicidas. O grupo e seus aliados da Al-Qaeda são mais ativos no sul e no leste do país, perto da fronteira com o Paquistão. CombateOs combates do ano passado mataram quase 4 mil pessoas, aproximadamente um quarto delas civis, mas também cerca de 170 soldados ocidentais, centenas de militantes e tropas afegãs e dezenas de agentes humanitários. O governo afegão diz que o misterioso líder Taleban, mulá Mohammad Omar, e seus principais seguidores vivem no Paquistão, que até os atentados de 11 de setembro de 2001 contra os EUA era o país que mais apoiava o regime Taleban. Islamabad admite que há infiltração de rebeldes, mas nega que dê apoio a eles. Dadullah disse que Omar e outros líderes do Taleban estão no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.