Taleban liberta funcionários da Cruz Vermelha no Afeganistão

Milícia afirma que o seqüestro foi um erro; trabalhadores tentariam negociar libertação de refém alemão

Efe,

29 de setembro de 2007 | 12h49

Os quatro trabalhadores da Cruz Vermelha seqüestrados nesta semana no centro do Afeganistão foram libertados neste sábado, 29, pelo Taleban, segundo a agência afegã de notícias Pajhwok.O porta-voz dos rebeldes, Zabiullah Mujahid, disse que o rapto foi um erro e que a milícia estava disposta a libertar o grupo. Os funcionários, dois deles estrangeiros, tinham viajado para Maidan Wardak para negociar a libertação de um engenheiro alemão que se encontra em mãos dos taleban desde julho. O grupo foi capturado quando voltava para Cabul, sem alcançar seu objetivo.O Ministério de Assuntos Exteriores da Macedônia confirmou que um dos seqüestrados é nascido no país.O engenheiro alemão, Rudolf Blechschmidt, foi seqüestrado em 18 de julho, em Maidan Wardak, junto com outro colega de profissão da mesma nacionalidade, que foi executado poucos dias depois.No dia 23 de agosto, o alemão apareceu num vídeo no qual dizia ser "um prisioneiro do Taleban" e pedia ajuda para sua libertação. Além disso, o engenheiro também dizia que seu estado de saúde não era bom.Em julho, 23 sul-coreanos foram feitos reféns no maior seqüestro já realizado no país. Dois foram executados pelo grupo e outros 21 libertados em pequenos grupos.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoseqüestroCruz Vermelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.