Taleban liberta três reféns sul-coreanas no Afeganistão

Governo sul-coreano teria pago resgate em acordo com radicais islâmicos, que ainda mantêm 16 reféns

Agências internacionais,

29 de agosto de 2007 | 06h35

Rebeldes do Taleban libertaram nesta quarta-feira, 28, mais três reféns sul-coreanos do grupo de 19 missionários capturados há mais de um mês no Afeganistão. Haji Zahir, mediador das negociações pela libertação dos reféns, disse que acompanhava as três mulheres coreanas em um veículo que seguia para um local perto da cidade de Ghazni, na região central do país. Segundo ele, o estado de saúde delas é bom. Os reféns libertados foram entregues para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.  A libertação ocorre um dia depois de o governo sul-coreano ter afirmado que havia chegado a um acordo com o Taleban.   Acredita-se que o acordo pode ter incluído o pagamento de um resgate, segundo o correspondente da BBC na capital afegã, Cabul, Alastair Leithead. A Coréia do Sul concordou em retirar suas tropas do Afeganistão como planejado até o final do ano, e afirmou que vai por fim a todo o trabalho missionário no país e impedir que seus cidadãos sigam para lá. O grupo de 23 reféns sul-coreanos, em sua maioria mulheres, foi seqüestrado dia 19 de julho por um grupo rebelde enquanto viajava de Cabul a Kandahar. Poucos dias mais tarde, os radicais executaram dois deles, alegando que o governo afegão se negava a atender às reivindicações de libertar 200 presos detidos no país. Após uma primeira rodada de negociações, duas mulheres foram libertadas.   Esse é o maior caso de seqüestro ocorrido em meio à campanha lançada pelo Taleban após forças lideradas pelos EUA terem derrubado o grupo do poder, no Afeganistão, em 2001.   Matéria ampliada às 07h35.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.