Taleban mantém ordem de destruir estátuas

O chefe supremo dos Talebans, o molá Mohamed Omar, manteve nesta segunda-feira a ordem de destruir as gigantescas estátuas de Buda no interior do Afeganistão, consideradas patrimônio da humanidade, apesar dos protestos internacionais. ?Agora que destruímos os falsos ídolos, o mundo dramatiza?, disse ele em uma mensagem divulgada pela Rádio Sharia. Aproveitando a festa muçulmana de Eid, Omar garantiu que as ?estátuas serão destruídas de acordo com os fundamentos do Islã?.A destruição das obras foi determinada na última segunda-feira pelo chefe supremo dos Talebans, grupo fundamentalista no poder desde setembro de 1996. Mohamed Omar considerou as imagens "anti-islâmicas" e confiou a missão de sua destruição ao Ministério para a Promoção da Virtude e Luta Contra o Vício, que funciona como uma polícia religiosa no país, e ao próprio Ministério da Cultura afegão.Esculpidos há mais de 1.500 anos, os budas são considerados obras-primas do budismo pré-islâmico e patrimônio cultural da Humanidade, de acordo com a Unesco. Entre eles está a maior estátua de Buda em pé do mundo, com 55 metros de altura. O anúncio do ataque provocou protestos da Unesco e da comunidade internacional, com destaque para os países de maioria budista, como Japão, China e Tailândia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.