Taleban mata segundo refém sul-coreano, diz polícia

Corpo foi encontrado pela polícia afegã; 21 pessoas permanecem seqüestradas.

BBC Brasil, BBC

31 Julho 2007 | 03h03

A polícia afegã confirmou a morte do segundo refém sul-coreano seqüestrado pelo grupo radical islâmico Taleban. Segundo a polícia local, o corpo de um homem com vários ferimentos à bala foi encontrado em uma estrada no vilarejo de Arizo Kalley, na província de Ghazni. O Taleban seqüestrou 23 missionários cristãos - a maioria mulheres - da Coréia do Sul no dia 19 de julho em Ghazni, sudoeste de Cabul. Na última quarta-feira, o corpo do pastor Bae Hyung-kyu, de 42 anos, foi encontrado com diversos tiros de revólver no sudoeste da capital afegã. Nesta segunda-feira, a rede de TV Al-Jazeera mostrou um vídeo dos reféns. A gravação mostrava cerca de sete mulheres usando véus e militantes do Taleban. As reféns pareciam amedrontadas, mas não exibiam ferimentos aparentes. Um homem que afirmou falar em nome do Taleban disse que o segundo refém foi morto nesta segunda-feira porque o governo do Afeganistão se recusou a atender às exigências dos militantes. O Taleban exige a libertação de militantes que estão presos em troca dos reféns. Nesta segunda-feira, o corpo do pastor Bae Hyung-kyu chegou à Coréia do Sul. Em Seul, familiares dos reféns realizam vigílias por sua libertação. Segundo Alistair Leithead, correspondente da BBC no Afeganistão, a morte do segundo refém aumenta a pressão sobre o presidente Hamid Karzai para tentar salvar os 21 sul-coreanos que permanecem em poder do Taleban. O presidente afegão tem se recusado a trocar prisioneiros por reféns depois de ter sido criticado por libertar cinco membros do Taleban em troca de um repórter italiano em março.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.