Taleban no Paquistão volta a negar morte de líder

Militantes do Taleban do Paquistão afirmaram hoje que vão provar, em breve, que o líder Hakimullah Mehsud continua vivo. Se isso acontecer, serão desmentidas as informações do governo paquistanês, de que Mehsud teria morrido após um ataque de mísseis dos Estados Unidos em uma região perto do Afeganistão.

AE-AP, Agencia Estado

01 de fevereiro de 2010 | 18h16

Hoje, o porta-voz do governo, Abdul Malik, afirmou que aviões de combate e helicópteros paquistaneses realizaram operações em outras regiões da fronteiras noroeste. Parte desses confrontos matou 22 insurgentes e três soldados, disse. As novas lutas na região de Bajur nos últimos dias mostram a tenacidade dos militantes numa área que o Exército afirmava, no ano passado, estar livre de insurgentes.

Morte do líder

Informações divulgadas pela televisão estatal ontem indicavam que o chefe do Taleban no Paquistão, Hakimullah Mehsud, havia morrido em decorrência de ferimentos provocados por ataques de aviões não tripulados no início de janeiro na região fronteiriça. As informações são aparentemente baseados em relatos de testemunhas que teriam comparecido a seu funeral na semana passada.

A morte de Mehsud pode representar uma grande vitória contra um aliado da Al-Qaeda, já sob pressão de ataques dos Estados Unidos e do Paquistão, mas não deve ser um grande golpe para a organização. Acredita-se que há pelo menos dois comandantes que poderiam substitui-lo.

Mas a morte do líder seria outro sucesso para o programa secreto dos Estados Unidos de ataques com mísseis na região de fronteira. O antecessor de Mehsud, Baitullah Mehsud, foi morto num ataque semelhante em agosto do ano passado, um dos vários militantes de alto escalão que, acredita-se, foi vítima dos mísseis desde que o programa teve início 18 meses atrás.

Mas um conselheiro próximo de Hakimullah Mehsud chamou a informação sobre sua morte de "propaganda de governo" e disse que ele "vai bem". "Vamos tentar, em um dia ou dois, dar provas de que ele está vivo", disse o comandante, que não se identificou, à Associated Press por telefone.

O Taleban paquistanês fez negativas similares após a morte do ex-líder Baitullah Mehsud. O grupo apenas admitiu a morte do líder depois de ter escolhido Hakimullah Mehsud com seu sucessor, três semanas mais tarde.

Informações sobre a morte de Hakimullah Mehsud já foram divulgadas duas vezes antes. Uma delas logo após a morte de Baitullah, quando, segundo funcionários do governo, teria havia uma luta por sua sucessão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.