Taleban pede aos EUA que enviem presos ao Catar

Insurgentes do grupo fundamentalista Taleban no Afeganistão pediram, nas negociações com os Estados Unidos, que prisioneiros do grupo que são mantidos na prisão da base dos EUA na Baía de Guantánamo, em Cuba, sejam transferidos ao Catar, disse nesta sexta-feira um porta-voz do governo afegão, Aimal Faizi. O governo do Afeganistão, contudo, é contra esse pedido e quer que eles sejam enviados diretamente a Cabul.

AE, Agência Estado

06 de janeiro de 2012 | 15h35

Nesta semana, o Taleban anunciou que planeja abrir um escritório no Catar, uma medida vista como um sinal de que o grupo entrará em negociações de paz com os EUA. O grupo fundamentalista também exigiu que seus militantes detidos em Guantánamo sejam libertados - mas o comunicado não pedia para onde deveriam ser enviados.

O presidente afegão Hamid Karzai foi informado pelos EUA sobre o pedido do Taleban pouco antes da Conferência de Bonn sobre o Afeganistão, disse Faizi à agência France Presse (AFP). Essa conferência aconteceu em dezembro.

Faizi disse que o governo afegão é favorável à libertação dos presos de Guantánamo, "mas não queremos que eles sejam enviados diretamente ao Catar - nosso governo se opõe fortemente a isso".

O governo afegão teme ser deixado às margens das negociações entre os EUA e o Taleban. "Eles não podem ser enviados diretamente ao Catar porque isso seria uma quebra da nossa soberania, das leis afegãs e da nossa Constituição", disse Faizi, que lembrou que os detentos são cidadãos afegãos. Ele não fez objeções à abertura do escritório do Taleban no Catar. Faizi disse que o governo afegão estima que 20 dos seus cidadãos estejam presos atualmente em Guantánamo.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.