Arte sobre foto da AP
Arte sobre foto da AP

Taleban pendura corpos de supostos sequestradores em cidade no Afeganistão 

Apesar da condenação internacional, o grupo disse que continuará a impor punições rápidas e severas aos infratores para impedir crimes como roubo, assassinato e sequestro

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2021 | 13h58

CABUL - As autoridades do Taleban na cidade de Herat, no oeste do Afeganistão, mataram quatro supostos sequestradores e penduraram seus corpos em público para dissuadir outros, afirmou um funcionário do governo local neste sábado, 25.

Sher Ahmad Ammar, vice-governador da Província de Herat, disse que os homens sequestraram um empresário local e seu filho e pretendiam tirá-los da cidade, quando foram vistos por patrulhas que montaram postos de controle pela cidade. Seguiu-se uma troca de tiros em que todos os quatro foram mortos, enquanto um soldado do Taleban foi ferido.

"Seus corpos foram levados para a praça principal e pendurados na cidade como uma lição para outros sequestradores", disse ele. As duas vítimas de sequestro foram libertadas ilesas, segundo ele.

O morador de Herat, Mohammad Nazir, disse que estava comprando comida perto da Praça Mostofiat quando ouviu um anúncio em um alto-falante chamando a atenção das pessoas. 

"Quando dei um passo à frente, vi que eles trouxeram um corpo em uma caminhonete, depois o penduraram em um guindaste", disse ele. Uma multidão assistiu aos combatentes armados do Taleban se reunirem ao redor do veículo.

Imagens de um cadáver ensanguentado balançando no guindaste foram amplamente compartilhadas nas redes sociais, mostrando uma nota pregada no peito do homem dizendo "Esse é o castigo por sequestro". Postagens nas redes sociais disseram que mais três corpos foram pendurados em outras partes da cidade.  

Em uma entrevista à Associated Press publicada esta semana, uma importante figura e um dos fundadores do Taleban, o mulá Nooruddin Turabi, disse que o grupo restauraria punições como amputações e execuções para dissuadir criminosos.

Apesar da condenação internacional, o Taleban disse que continuará a impor punições rápidas e severas aos infratores para impedir crimes como roubo, assassinato e sequestro, que se generalizaram no Afeganistão. A exibição é um sinal de que os islâmicos radicais tomarão medidas temerosas em uma conduta semelhante ao que fizeram em seu governo anterior, de 1996 a 2001.

Washington, que condenou os comentários de Turabi sobre punições, afirmou que qualquer reconhecimento potencial do governo liderado pelo Taleban em Cabul, que substituiu o governo apoiado pelo Ocidente que entrou em colapso no mês passado, dependeria do respeito aos direitos humanos.

De acordo com a agência de notícias oficial Bakhtar, oito sequestradores também foram presos em um incidente separado na Província de Uruzgan, no sudoeste./REUTERS e AFP 

 

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanAfeganistão [Ásia]sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.