Taleban quer que sinal de celular seja cortado no Afeganistão

Insurgentes dão últimato a companhias telefônicas, afirmando que são rastreados por militares no país

Agência Estado e Associated Press,

25 de fevereiro de 2008 | 11h09

Militantes do Taleban ameaçam explodir torres de telefonia pelo Afeganistão se as companhias de telefonia celular não interromperem o sinal durante um intervalo de dez horas a começar no anoitecer. Zabiullah Mujaheed, um porta-voz da milícia fundamentalista islâmica Taleban, afirmou nesta segunda-feira, 25, que os Estados Unidos e outros exércitos estrangeiros no país estão usando os sinais de celulares para rastrear rebeldes e atacá-los.   O Taleban "decidiu dar um prazo de três dias para que todas as companhias interrompam os sinais das 17h às 3h para impedir que os inimigos levantem informações por meio dos telefones celulares e para evitar baixas entre os talebans e os civis", disse Mujaheed à Associated Press. "Se essas companhias não interromperem o sinal dentro de três dias, o Taleban atacará suas torres e suas instalações", ameaçou   Mujaheed afirmou que o Taleban já entrou em contato com todas as quatro companhias de telefonia celular que operam no país, mas nenhuma delas aceitou até o momento as demandas da milícia. Funcionários dessas empresas não foram encontrados para comentar o assunto.   Enquanto isso, o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, levou seus ministros ao leste do país nesta segunda-feira para a primeira de uma série de reuniões de gabinete que serão realizadas fora de Cabul.   Karzai presidiu a reunião desta segunda em Jalalabad, capital da província de Nangarhar, no leste afegão, disse Asif Nang, porta-voz presidencial. Jalalabad situa-se a cerca de 150 quilômetros de Cabul. "Esta é a primeira vez em décadas que uma reunião regular de gabinete ocorre em uma província", disse Nang. Segundo ele, a partir de agora, o governo se reunirá uma vez por mês em uma das 34 províncias do país.   A segurança em Jalalabad foi reforçada. Karzai e seus ministros reuniram-se com mais de cem líderes tribais e representantes locais no gabinete do governador de Nangarhar.

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanAfeganistãotelefone

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.