Colin Perkel/AP
Colin Perkel/AP

Taleban reivindica atentado que teria matado agentes da CIA

Em outro ataque, quatro soldados canadenses e uma repórter foram mortos em meio ao conflito no país

Associated Press,

31 de dezembro de 2009 | 07h42

O Taleban reivindicou responsabilidade por um atentado suicida contra uma base no leste do Afeganistão que matou oito civis americanos e um afegão. Um funcionário do Congresso americano disse que há agentes da CIA entre as vítimas.

 

Quatro soldados canadenses e uma jornalista que os acompanhava foram mortos em outro ataque, na quarta-feira, por uma bomba de beira de estrada no sul do país. Este foi o evento mais sangrento para as tropas canadenses em 2009. Michelle Lang, de 34 anos, é a primeira jornalista canadense e perder a vida no país. Ela havia chegado ao Afeganistão há duas semanas.

 

Não está claro, ainda, como o terrorista suicida conseguiu acesso à base nos arredores da cidade de Khost.

 

O porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, disse, em nota, que um oficial do Exército nacional Afegão, vestindo um colete-bomba, entrou na base e explodiu-se na academia de ginástica.

 

Khost é a capital da província de Khost, que faz fronteira com o Paquistão e é um reduto do Taleban.

 

A CIA ainda não fez comentário e nem confirmou mortes entre seus agentes no país. Não houve confirmação independente de que o autor do atentado seria um militar.

 

O funcionário do Congresso, falando em Washington, disse que não está claro quantas das vítimas teriam ligação com a agência de espionagem.

Tudo o que sabemos sobre:
talebanafeganistãocia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.