Taleban rejeita plano de reconciliação do governo afegão

Insurgentes extremistas dizem não querer compactuar e garantem que 'a vitória está próxima'

Reuters,

05 de fevereiro de 2010 | 10h21

O Taleban informou que não entrará em nenhum acordo com o governo do Afeganistão ou com os países do Ocidente para levar a paz à nação asiática e ainda garantiu que seus guerreiros vão continuar a morrer para conquistar a vitória que, dizem, está muito próxima.

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência
linkFuturo do Afeganistão começa este ano, diz Otan

 

As declarações dos insurgentes são uma resposta ao plano de reconciliação e reintegração apresentado pelo presidente Hamid Karzai durante a conferência de Londres no mês passado. O líder afegão convidou os insurgentes a participar do conselho de paz e estabeleceu um programa para atrair os militantes para longe da luta armada.

 

O comunicado publicado em um site islâmico na quinta-feira, 5, porém, afirmava que o Taleban não se unirá a ninguém, embora nenhuma referência direta á proposta de Karzai tenha sido encontrada no texto. Inicialmente, os insurgentes haviam dito que decidiriam "em breve" sobre participar ou não do conselho.

 

Anteriormente, o Taleban rejeitou todos os pedidos de diálogo enquanto as tropas estrangeiras estiverem no país. "Durante os últimos oito anos, a comunidade islâmica não mostrou vontade alguma de se unir a partidos que não se relacione com a jihad, o país e seu povo, e os interesses islâmicos e nacionais", disseram os insurgentes. "Agora não é a hora de legitimar um acordo sem valor quando a vitória está próxima", conclui o texto.

 

Intitulado de "A decisão impraticável da Conferência de Londres", o comunicado foi endereçado aos "promotores e participantes" da reunião.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.