Taleban seqüestra 2 franceses e 3 afegãos integrantes de ONG

Dois franceses e três afegãos que trabalham para uma ONG foram "capturados" nesta quarta-feira, 4, pelos talebans na província de Nimroz, no sudoeste do Afeganistão, informou à Efe um porta-voz dos insurgentes."Capturamos dois franceses, um homem e uma mulher, junto a seus três colegas afegãos na província de Nimroz", assegurou o porta-voz Qari Mohammad Yousif Ahmadi, por telefone, acrescentando que seu destino será decidido pelo Conselho Supremo taleban.Em Paris, o Ministério de Exteriores tinha informado poucas horas antes que a ONG Terre d´Enfance estava desde terça-feira sem notícias de dois de seus voluntários franceses no Afeganistão e de três afegãos que os acompanhavam em uma missão.O ministério e a embaixada francesa em Cabul acompanham a questão "com atenção", em contato com as autoridades locais e a própria ONG, segundo um porta-voz de Exteriores.O governador de Nimroz, Gholum Dastagir Azaad, disse que os cinco funcionários da ONG saíram de seu escritório para desempenhar uma missão na província de Herat na terça-feira e que, desde então, "não há notícia deles".O carro onde estavam foi visto pela última vez em Khashrod, segundo o governador.Azaad acrescentou que, "se foram capturados, isto não ocorreu em Nimroz, pois esta é a última localidade no caminho para Herat", mais ao norte, cruzando antes a província de Farah.O governador acrescentou que os trabalhadores humanitários tinham deixado a província sem informar às autoridades nem pedir escolta policial, como fazem habitualmente os estrangeiros quando se deslocam pelo interior do Afeganistão.Após explicar que a organização Terre d´enfance se encarrega de projetos de ajuda à infância afegã, Azaad disse que a Polícia enviou unidades de busca dos cinco voluntários.Os talebans seqüestraram em março o jornalista italiano Daniele Mastrogiacomo, libertado duas semanas depois por meio de um acordo com o governo, que libertou cinco talebans.No entanto, o motorista do jornalista foi assassinado e o tradutor ainda está em poder dos talebans.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.