Taleban tem 4 mil homens para combater ofensiva da Otan

O Taleban tem 4 mil combatentes prontos para rechaçar a maior ofensiva já lançada pela Otan no país, que entrou nesta quarta-feira, 7, em seu segundo dia, informou um comandante da milícia islâmica. Homens-bomba estão preparados, minas terrestres foram plantadas e helicópteros da aliança atlântica serão alvejados, garantiu o comandante insurgente da província nortista de Helmand, mulá Abdul Qassim.Segundo Qassim, o Taleban tem entre 8mil e 9 mil combatentes em toda a província, 4.000 deles no norte de Helmand, onde a Otan lançou na terça-feira a ofensiva. Ele disse que todos os combatentes são afegãos, negando notícias dando conta que centenas de lutadores estrangeiros estavam na região."Todos eles estão bem equipados, e temos armas para alvejar helicópteros", comentou hoje Qassim a por telefone por satélite de um local não revelado. "O Taleban tem capacidade para lutar por 15 ou 20 anos contra a Otan e os americanos".Novas minas terrestres foram plantadas, e homens-bomba - uma ameaça crescente no Afeganistão - estão prontos para atacar, disse Qassim.A Operação Aquiles, envolvendo cerca de 4.500 soldados da Otan e outros mil afegãos, visa garantir a segurança em regiões sem lei do norte de Helmand - onde existem as maiores plantações de papoula do mundo.No final do ano passado, uma operação da Otan eliminou centenas de militantes que combateram em formação na vizinha província de Kandahar, o que levou o porta-voz da aliança atlântica, coronel Tom Collins, a dizer esta semana que os militares adorariam se o Taleban repetisse a tática.Mas Qassim adiantou que a milícia irá se adaptar às condições em campo."O Taleban conhece a luta tradicional", frisou. "Se for preciso combater em grupo, combateremos. Se for preciso um ataque suicida, faremos isso. Se for preciso uma emboscada ou uma luta de guerrilha, assim será".Oficiais dos EUA afirmam que o Taleban consegue dezenas, talvez centenas, de milhões de dólares com a plantação de papoula em Helmand. Qassim negou a acusação, dizendo que o Taleban erradicou as plantações de papoula quando governou o país de 1996 a 2001.O líder taleban alardeou que os militantes controlam toda Helmand, onde operam soldados britânicos, e destacou que o governador da província não vai à região há semanas, mantendo-se em Cabul, a capital."Todo dia temos lançados foguetes contra as bases britânicas, mas os soldados não saem para fora", disse. "Eles não estão lutando contra nós. Estamos prontos, mas eles continuam lá dentro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.