Brennan Linsley/AP
Brennan Linsley/AP

Taleban usa francoatiradores para combater ofensiva dos EUA

Insurgentes demonstraram alta capacidade de treinamento; dois soldados morreram por tiros de longa distância

estadao.com.br,

18 de fevereiro de 2010 | 08h47

Desde que foi iniciada uma nova ofensiva contra a insurgência no Afeganistão, o Taleban revelou ter melhorado o seu sistema de treinamento militar e colocou atiradores de elite para confrontar as tropas afegãs e americanas, segundo informou nesta quinta-feira, 18, uma reportagem na versão online do jornal americano New York Times.

 

Cinco soldados americanos e dois afegãos foram atingidos por tiros de longa distância nos últimos dias. Três dos americanos foram baleados nas primeiras horas do confronto da quarta-feira, sendo que um deles morreu durante uma emboscada preparada pelos insurgentes. Segundo os militares dos EUA, a maioria dos tiros vem de rifles especializados para tiros de longa distância e de fuzis Kalashnikov.

 

Vários soldados reportaram casos de quase terem sido atingidos. Várias dessas ocasiões ocorreram quando os militares apenas colocam o rosto a mostra perto

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência
de paredes para verificar a área à frente ou mesmo em campos abertos, quando as balas atingem o chão, mas muito próximo dos soldados.

 

Na quarta-feira, os americanos foram atingidos em um campo agrícola. Como resposta, as tropas usaram morteiros, artilharia, apoio de helicópteros e ataques aéreos até o fim do quinto dia da ofensiva.

 

Os combates mais próximos com os insurgentes tem mostrado um déficit nas capacidades de combate dos taleban, mas os casos com atiradores de elite têm surpreendido os militares. Na segunda-feira, um soldado afegão foi atingido no pescoço a cerca de 600 metros de onde estava e morreu na hora.

 

A área de Marja, onde foram reportados os casos com os francoatiradores, tem campos abertos rodeados com zona de vegetação, o que dá cobertura aos militantes. Várias emboscadas ocorreram no local desde o início da ofensiva. Soldados afegãos e americanos se revezam ao se arriscarem a cruzar os campos enquanto outros militares dão cobertura ao abrir fogo supressivo. O americano morto foi atingido em uma dessas operações e morreu na hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.