Taleban usa menino de 12 anos para decapitar espião

O Taleban usou um menino de 12 anos para executar um homem acusado de ajudar as forças norte-americanas a caçar e matar um de seus líderes em dezembro, segundo reportou a TV Al Arabiya neste sábado, 21.O canal de tevê de Dubai mostrou o menino segurando uma grande faca enquanto homens mascarados seguravam um homem com os olhos vendados, identificado com Gholam Nabi, o qual o Taleban acusou de ter ajudado as forças americanas a matar um parente do líder do Taleban Mullah Omar.As forças dos Estados Unidos anunciaram em dezembro que haviam matado o chefe militar do Taleban, Akhtar Mohammad Osmani, em um ataque aéreo a seu carro no sul do Afeganistão. Um porta-voz militar dos EUA disse que Osmani era o mais antigo comandante do Taleban a ser morto no Afeganistão.O Taleban divulgou na época que Osmani estava vivo, mas confirmou sua morte mais tarde. A Al Arabiya não mostrou a execução de Nabi. A emissora afirmou que a fita, que foi postada na internet, era sem precedentes já que o garoto que realizou a aparente decapitação não tinha mais de 12 anos.A tevê citou o pai de Nabi confirmando que as fotos do homem antes de ser vendado eram de seu filho. O pai disse que o Taleban o informou por telefone que Nabi espionou para os americanos.AtaquesAo mesmo tempo, o líder foragido do Taleban Mullah Mohammad Omar instou seus seguidores a aumentar os ataques suicidas contra estrangeiros e tropas afegãs e a permanecer unidos, de acordo com um comandante do Taleban. A violência aumentou repentinamente no Afeganistão nas últimas semanas depois de uma certa calmaria no inverno, seguindo o ano passado como o período mais sanguinário desde a expulsão do Taleban em 2001. O comandante do Taleban Mullah Hayatullah Khan disse à Reuters na noite de sexta-feira, por um telefone via satélite de uma localidade desconhecida, que Omar entrou em contato com comandantes importantes e regionais e parabenizou-os por terem realizado ataques de "sucesso" nas últimas semanas. Ele não deu detalhes de como e quando Mullah Omar contatou os comandantes. "Os mujahideen (guerreiros sagrados) do Taleban, por meio da unidade em suas fileiras, devem continuar e aumentar sua guerrilha e seus ataques suicidas contra as forças de ocupação, e os infiéis em breve irão fugir.", disse Omar, de acordo com Khan. "Mullah Omar nos ordenou a libertar nosso país, devemos aumentar nossos ataques contra as forças de ocupação e seus fantoches afegãos", acrescentou. Mullah Omar, que teve sua cabeça colocada a prêmio por 10 milhões de dólares pelo governo dos Estados Unidos, disse a seus combatentes para tentar não ferir civis inocentes durante as ofensivas, segundo Khan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.