Massoud Hossaini/AFP
Massoud Hossaini/AFP

Taleban usa suicidas e atiradores em ataque contra hotel de luxo em Cabul

Segundo autoridades afegãs, 10 pessoas morreram após 4 horas de uma intensa troca de tiros

, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

CABUL

Um dos principais hotéis do Afeganistão, o Intercontinental de Cabul, sofreu ontem um ataque do Taleban. Depois de invadir o local, frequentado por estrangeiros e autoridades, os insurgentes trocaram tiros por mais de quatro horas com as forças de segurança que cercaram o prédio. A ação terminou, segundo a polícia afegã, com a morte de pelo menos dez civis, incluindo funcionários do hotel, além de todos os seis terroristas.

O ataque ocorreu poucos dias após o presidente dos EUA, Barack Obama, prometer retirar as tropas americanas do Afeganistão mais rápido do que o previsto e mostrou a precariedade da segurança na capital do país.

Horas após o fim do confronto, autoridades não sabiam dizer quantos terroristas haviam participado da ação, que começou por volta das 22 horas (15h30 em Brasília) e durou mais de quatro horas. O governo afegão disse que foram seis homens-bomba, todos mortos - dois por guardas do hotel, no início do ataque, e quatro durante a ação.

O Taleban assumiu a autoria das invasão enquanto seus militantes ainda resistiam no hotel, mas não deu detalhes sobre quantos insurgentes participaram do atentado, considerado incomum para os padrões do grupo, que prefere explodir artefatos em vez de buscar o confronto com forças de segurança.

Segundo Zabiullah Mujahid, um dos porta-vozes do Taleban, os militantes "vasculharam vários andares do edifício" para matar "hóspedes afegãos e estrangeiros". Uma conferência sobre a transferência da segurança do país da Otan para as forças afegãs estava marcada para hoje na capital, mas os organizadores disseram que nenhuma das palestras ocorreria no hotel.

Com seis andares, situado em uma colina afastada do centro de Cabul, o Intercontinental é protegido por um forte esquema da segurança. Entre 60 e 70 pessoas estavam hospedadas no hotel. As autoridades tiveram dificuldades para retirar as vítimas do prédio e entender o que havia ocorrido. Testemunhas ouviram pelo menos uma explosão no início e três durante a ação.

Após tomarem o hotel, três atiradores do Taleban ocuparam o topo do edifício - que teve a energia cortada - e começaram a atirar contra os agentes que os cercaram. Pouco depois, helicópteros da Otan dispararam foguetes que mataram todos os insurgentes no terraço, facilitando a invasão e o controle do prédio. As forças de segurança passaram então de quarto em quarto para ter certeza de que não havia mais militantes no local. / NYT e AP,

PARA LEMBRAR

EUA iniciaram retirada do país

O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou na semana passada o início da retirada das tropas americanas do Afeganistão. Cerca de 33 mil soldados devem sair do país até o ano que vem. O número equivale ao aumento decidido pela Casa Branca em dezembro de 2009, que conseguiu reverter o avanço do Taleban no sul do país.

Obama decidiu ordenar uma retirada mais rápida do que o recomendado por militares e pelo Departamento de Defesa por causa da má situação da economia americana, que ainda se recupera da crise financeira de 2009, sofre com um déficit orçamentário gigantesco e vive às voltas com uma alta taxa de desemprego.

No total, cerca de 100 mil soldados americanos e outros 37 mil de países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão no Afeganistão lutando em um conflito que já dura dez anos.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.