Talebans aceitam trocar reféns sul-coreanas por prisioneiras

Grupo de 21 missionários tem 18 mulheres; governo sul-coreano desmente que duas estejam doentes

Efe,

07 de agosto de 2007 | 04h16

O grupo taleban que há três semanas mantêm em cativeiro 21 sul-coreanos no Afeganistão se mostrou disposto a trocar as mulheres reféns por prisioneiras insurgentes, informou nesta terça-feira, 7, a agência sul-coreana Yonhap. "Se o governo afegão libertar as mulheres presas por terem prestado apoio aos talebans, estamos dispostos a libertar o mesmo número de reféns sul-coreanas", disse um porta-voz rebelde, Qari Yousef Ahmadi, à Yonhap. Ahmadi explicou que a direção taleban não sabe o número exato de mulheres insurgentes presas. Ele garantiu que elas só estão na prisão por terem oferecido comida e refúgio aos talebans, sem desempenhar cargos na organização. Até agora os insurgentes exigiam a libertação de presos rebeldes em troca dos missionários sul-coreanos, dos quais 18 são mulheres. Um grupo de 23 sul-coreanos foi seqüestrado em 19 de julho. Dois deles foram executados dias depois de o governo afegão se negar a atender às exigências do grupo insurgente. O ministro de Relações Exteriores sul-coreano, Song Min-soon, desmentiu nesta terça-feira que duas mulheres do grupo de 21 reféns estejam gravemente doentes.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroreféns sul-coreanosTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.