Talebãs são acusados de explosão de ponte no Afeganistão

Uma mina terrestre destruiu na manhã desta sexta-feira uma ponte nas imediações da cidade de Kandahar, no Afeganistão, matando pelo menos 15 pessoas que estavam em um ônibus que trafegava pela ponte Rambasi na hora da explosão. Apenas duas pessoas que estavam no veículo sobreviveram: um menino de 12 aos e o motorista do ônibus, disse o subchefe dapolícia local, Ustad Nazir Jan. Nenhum grupo assumiu a autoria do atentado, mas Jan a atribuiu a integrantes do Taleban e da rede Al-Qaeda. "Estamos cem por cento seguros de que foram o Taleban e a Al-Qaeda", afirmou Jan. "Logo teremos as provas". Na opinião de Jan, no entanto, o verdadeiro alvo do atentado eram os soldados afegãos, que têm um posto de comando próximo ao local da explosão. As tropas dessa unidade, que patrulham a zona,pertencem a um grupo de soldados leais ao governador de Kandahar Gul Agha Sherzai. Os dois sobreviventes foram o chofer Ahmad Zia, de 26anos, e um menino de 12 anos que não foi identificado deimediato. Ambos foram levados a um hospital do povoado de Mir Wais onde Zia confirmou à Associated Press que a explosão destruiu oônibus no momento em que este atravessava a ponte, por volta das 9h30 (hora local), após o veículo deixar a aldeia de Mala Dost.Zia calculou que 15 passsageiros tenham morrido naexplosão, embora funcionários locais tivessem dito anteriormenteque o número de mortos poderia ser de 18. Há informações de que o menino de 12 anos não corre perigo de vida. Os Estados Unidos acusam os talebãs de proteger o milionário saudita Osama bin Laden, considerado o autor dos atentado de 11 de setembro de 2001, em Nova York e Washington. Tropas norte-americanas estão posicionados em um aeroporto ao sul de Kandahar. No início desta semana, forças aliadas travaram um combate violento contra 80 rebeldes nas montanhas ao sul do Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.