Taliban paquistanês assume ataque a academia de polícia

O líder do Taliban no Paquistão, Baitullah Mehsud, disse nesta terça-feira que seu grupo executou um ataque na academia de polícia na cidade de Lahore em represália aos ataques dos Estados Unidos aos militantes no país.

REUTERS

31 de março de 2009 | 08h56

Ele também sugeriu uma recompensa colocada pelos Estados Unidos por sua cabeça poderia ter como vingança uma ataque em Washington.

Oitos cadetes foram mortos e houve um grande número de feridos na investida, que aconteceu a menos de um mês após uma dúzia de homens armados terem atacado a seleção de críquete do Sri Lanka, matando seis policiais e um motorista de ônibus.

Quatro militantes foram mortos e três ficaram presos durante oito horas de conflito com autoridades da segurança na academia na segunda- feira.

"Nós sinceramente nos responsabilizamos por este ataque e executaremos muito mais ataques no futuro", disse pelo telefone à Reuters Mehsud, um líder ligado à Al Qaeda, baseado na região tribal de Pashtun, na fronteira com o Afeganistão.

"Esta é uma vingança pelos ataques no Paquistão."

Mehsud lidera o Tehrik-e-Taliban Paquistão, ou o Movimento Taliban no Paquistão, um grupo independente que executa ataques por todo o país, principalmente no noroeste.

Autoridades acusaram-no de estar por trás da série de ataques no Paquistão, incluindo o assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto em dezembro de 2007.

O Taliban do Paquistão também está relacionado com o Taliban do Afeganistão, e envia combatentes para a fronteira para lutar com as forças ocidentais naquele país.

Os Estados Unidos anunciaram na semana passada uma recompensa de 5 milhões de dólares por informações que conduzissem à localização ou prisão de Mehsud.

A incapacidade do Paquistão de diminuir ataques crescentes na fronteira, promovidos pelos militantes do Afeganistão, levou os Estados Unidos a conduzir uma série de ataques com mísseis que têm como alvo o noroeste do Paquistão.

(Reportagem de Kamran Haider)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOTALIBANATAQUELAHORE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.