Talibãs paquistaneses se unem contra Exército e Otan

O novo movimento quer unir os talibãs contra as forças da Otan no Afeganistão e desenvolver uma 'jihad'

EFE,

15 de dezembro de 2007 | 06h13

Os talibãs do noroeste do Paquistão anunciaram a formação de um comando central para enfrentar o Exército paquistanês as tropas da Otan no vizinho Afeganistão, informa neste sábado, 15, o jornal paquistanês "Dawn". O novo movimento, o Tehrik Talibã-e-Paquistão (Movimento Talibã do Paquistão), é liderado pelo fundamentalista Baitula Mehsud. Ele reúne os talibãs das áreas tribais de administração federal (Fata, sigla em inglês) e da Província da Fronteira Noroeste. O objetivo do novo movimento, lançado ontem numa reunião na província do Waziristão do Sul, é "unir aos talibãs contra as forças da Otan no Afeganistão e desenvolver uma 'jihad' defensiva contra as forças paquistanesas", disse o porta-voz de Mehsud, Maulvi Omar, na noite de sexta-feira, num comunicado. Segundo Omar, as forças de segurança paquistanesas estão bombardeando instituições religiosas e matando gente inocente. Na reunião, os fundamentalistas manifestaram sua vontade de pedir ao Governo do Paquistão a suspensão das operações militares no vale de Swat, no norte do país, e no Waziristão do Norte, na região oeste, pelos próximos dez dias. Se não forem atendidos, prometem desencadear uma onda de atentados suicidas contra as forças de segurança. Esta manhã, um atentado contra as forças de segurança na Província da Fronteira Noroeste matou pelo menos seis pessoas. Baizullah Mehsud tinha divulgado uma carta esta semana ameaçando com "conseqüências" os candidatos de várias zonas tribais sob controle fundamentalista se eles não retirarem suas candidaturas às eleições de 8 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
JIHADPAQUISTÃOOTAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.