Tâmeis tentam romper cerco e 2 líderes se rendem

Dois líderes do grupo rebelde Tigres de Libertação do Eelam-Tâmil (LTTE, na sigla em inglês) se entregaram ontem ao Exército cingalês mostrando a dificuldade dos guerrilheiros de resistir à ofensiva militar que pretende pôr fim a um dos conflitos mais antigo da Ásia.O porta-voz do LTTE, Velayudam Dayanidi, conhecido como Daya Master, rendeu-se na manhã de ontem, juntamente com seus familiares. Além dele, Kumar Pancharathnam, porta-voz do braço político do LTTE, também se entregou.Além das rendições, pelo menos 3 mil guerrilheiros teriam fugido do cerco militar misturando-se à população civil que deixava o local do conflito, segundo fontes militares.As rendições e fugas são um duro golpe para os guerrilheiros que, nos últimos dias, vinham prometendo resistir ao que o governo qualificou de "ofensiva final" contra o LTTE, grupo que, desde 1976, luta pela criação de uma região independente para membros da etnia tâmil, minoritária no país.Além de pressionar a guerrilha, a ofensiva do governo deixou 60 mil civis encurralados numa faixa de areia de 20 quilômetros quadrados.Segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e a Organização das Nações Unidas (ONU), os civis estão presos entre os dois grupos, numa zona supostamente desmilitarizada.Ontem, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, condenou a ofensiva militar."O governo do Sri Lanka sabe que o mundo todo está muito desapontado com esse esforço para terminar com vários anos de conflito ao custo de um sofrimento indescritível" para os civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.