Tanzanianos presos no RJ serão deportados

Salim Nacir Salim e David Jhon Pama, os dois tanzanianos presos no Rio há uma semana sob suspeita de planejar um atentado contra o Consulado dos Estados Unidos na cidade, serão deportados. A Justiça Federal informou que os passaportes apresentados por eles não são válidos. A dupla foi vista na Rodoviária Novo Rio no último dia 2 e chamou a atenção dos seguranças, que consideraram sua atitude suspeita. Os dois deixaram num banheiro do terminal uma sacola com fotografias de possíveis alvos de ataques, como o consulado e o BankBoston, informa a Justiça Federal. Mais tarde, no mesmo dia, eles foram localizados pela Polícia Federal e presos graças a um mandado judicial. A Justiça Federal não forneceu detalhes sobre as irregularidades nos passaportes. A PF não divulga nada sobre o assunto. Segundo nota oficial do consulado dos Estados Unidos, "até o momento não existe ligação aparente entre os dois indivíduos apanhados pela Polícia Federal e alguma ameaça aos interesses norte-americanos". A nota diz ainda que a "a Embaixada dos EUA deseja chamar a atenção para a natureza rotineira dessa investigação" e ressalta que estão sendo tomadas "todas as precauções necessárias", sem dar mais detalhes. O consulado, no centro da cidade, está com o policiamento reforçado desde a semana passada. A assessoria de imprensa da representação diplomática não informa o motivo do esquema, mas ele coincide com a prisão de dois cidadãos tanzanianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.