Taro Aso volta da Tailândia depois de reunião com asiáticos

Apesar do cancelamento da Asean a viagem não foi perdida, o primeiro-ministro do Japão pôde se reunir com seus colegas chinês e sul-coreano

EFE

12 de abril de 2009 | 01h32

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, retornou neste domingo a Tóquio vindo de Pattaya (Tailândia) um dia antes do previsto, depois que a cúpula de 16 países asiáticos foi cancelada por protestos e também depois de se reunir com seus colegas da China e da Coreia do Sul, informa a agência japonesa de notícias "Kyodo".

 

Apesar de os protestos dos opositores contra o Governo tailandês terem obrigado a suspender a reunião da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), Aso pôde se reunir com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, e o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak.

 

Além disso, os três dirigentes, que participavam da cúpula como membros da Asean+3, mantiveram uma reunião conjunta para unir posturas a respeito da Coreia do Norte e o recente lançamento de seu foguete de longo alcance, criticado por Seul e Tóquio.

 

Em Nova York, os membros do Conselho de Segurança da ONU, entre os quais se encontra a China, mais Japão como não-permanente, acertaram apresentar uma declaração de condenação contra Pyongyang pelo lançamento de um foguete, que segundo Seul e Tóquio esconde um teste de um míssil de longo alcance.

 

As reuniões dos três governantes na Tailândia aconteceram antes que os representantes dos 13 países da Asean+3, assim como os de Índia, Austrália e Nova Zelândia, fossem retirados em helicóptero do terraço do hotel ou em embarcações da Marinha, segundo a "Kyodo".

 

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, se viu obrigado a declarar estado de emergência na cidade de Pattaya, depois que os manifestantes tomaram o complexo hoteleiro onde se realizava a cúpula.

Tudo o que sabemos sobre:
Asean

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.