Taxa de desemprego em países da OCDE sobe a 7,6%

O desemprego nos 34 países-membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) subiu em fevereiro, em um revés para a recuperação da economia global após três meses seguidos de declínios. A taxa de desemprego avançou para 7,6%, de 7,5% em janeiro, enquanto o número de pessoas sem emprego aumentou para 46 milhões, de 45,8 milhões, segundo pesquisa divulgada hoje pela entidade, formada principalmente por economias desenvolvidas.

AE, Agência Estado

09 de abril de 2014 | 13h05

A alta do desemprego sugere que o crescimento econômico em países desenvolvidos ainda não é suficientemente forte para gerar uma rápida melhora do mercado de trabalho que, por sua vez, impulsionaria a recuperação ao sustentar os gastos dos consumidores.

Os dados da OCE mostram que, mais de cinco anos após o início da crise financeira, o número atual de desempregados continua 11,4 milhões acima do nível visto em julho de 2008. Por outro lado, o total de pessoas sem emprego caiu 3,8 milhões desde o pico atingindo em abril de 2010.

Entre os mais jovens, a taxa de desemprego da OCDE ficou inalterada em fevereiro, em 15,5%. A faixa mais jovem dos trabalhadores foi particularmente afetada pelo encolhimento do mercado de trabalho nos anos que se seguiram à crise mundial.

Em fevereiro, a taxa geral de desemprego aumentou nos EUA, França, Itália e Coreia do Sul, mas se manteve estável na zona do euro e recuou no Japão. As taxas mais altas foram registradas pela Espanha (25,6%) e Portugal (15,3%). O número mais recente da Grécia é de dezembro e mostrava o desemprego em 27,5%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ocdedesempregotaxacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.