Taxa de suicídios dobra em uma década na Coreia do Sul

Em 2009, país registrou média de 40 ocorrências por dia; aumento é estimulado por jovens

BBC

05 Setembro 2011 | 12h21

SEUL - O número de suicídios mais do que dobrou na Coreia do Sul nos últimos dez anos, apontam estatísticas divulgadas recentemente pelo governo. O país asiático tem uma das maiores taxas de suicídios do planeta, e cresce a pressão para que Seul aja e evite que o problema evolua.

Segundo os dados do governo, a cada dia de 2009, em média, cerca de 40 sul-coreanos tiraram suas próprias vidas. É mais do dobro dos índices de 1999 e cinco vezes mais do que em 1989. A pergunta é: por que mais sul-coreanos estão cometendo suicídios?

A economia tem crescido a uma média de 7% desde a crise asiática de uma década atrás; e, apesar de um rápido crescimento no endividamento das famílias, o país não está vivendo ondas de demissões em massa (causa atribuída para o aumento dos suicídios no Japão, por exemplo).

Para alguns analistas locais, a prática do suicídio tem crescido entre jovens - alguns inclusive usam a internet para formar grupos de suicídio.

Recentemente, o Parlamento sul-coreano aprovou uma lei que dá ao governo mais responsabilidade na prevenção do problema. Desde então, diversas iniciativas foram lançadas, como a instalação de telefones de emergência em pontes e, segundo a imprensa local, planos para a criação de centros nacionais de prevenção ao suicídio.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
Coreia do SulÁsiasuicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.