Taxista israelense condenado por corrida com homem-bomba

Um taxista israelense foi condenado por homicídio culposo. Ele transportou um homem-bomba palestino ao local do atentado cometido no dia de Natal. Ofer Shwartzboim foi preso em janeiro, semanas após o ataque de 25 de dezembro que matou quatro israelenses em Tel-Aviv. Shwartzboim concordou em transportar o terrorista, que não tinha permissão para entrar em Israel, por US$ 22.O taxista confessou ter levado o autor do atentado e um cúmplice ao local da explosão, mas disse que não fazia idéia de que os homens planejassem um ataque. Ele disse que os dois chamaram um táxi de uma cidade próxima à divisa com a Cisjordânia. Durante a viagem, ambos teriam dito que precisavam receber um pagamento, mas não tinham autorizações para estar em Israel.Shwartzboim disse que faz corridas para palestinos não-autorizados com freqüência, segundo informações divulgadas pelo gabinete do primeiro-ministro. É ilegal ajudar palestinos sem autorização a entrar em Israel.O taxista, de 39 anos e que vive na colônia judaica de Oranit, foi condenado a seis meses de serviços comunitários. Sua licença para conduzir táxi foi revogada em caráter permanente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.