Taylor deixa Serra Leoa para responder por crimes de guerra

O ex-presidente liberiano Charles Taylor deixou nesta terça-feira o oeste da África com destino à Holanda, onde será julgado por crimes de guerra e contra a humanidade. Taylor é suspeito de apoiar os rebeldes de Serra Leoa.O porta-voz do Tribunal Penal Internacional (TPI), Peter Andersen, informou que Taylor foi levado a bordo de um helicóptero da Organização das Nações Unidas (ONU) ao aeroporto de Freetown e colocado a bordo de um avião que pouco depois decolou com destino à Holanda.O governo holandês aceitou a realização do julgamento em Haia e os últimos empecilhos logísticos para a transferência foram superados na segunda-feira. Na semana passada, Grã-Bretanha prontificou-se a manter Taylor na cadeia caso ele venha a ser condenado.Serra Leoa havia pedido que o julgamento ocorresse no TPI devido aos temores de que um julgamento realizado na África provocasse mais instabilidade na região.Magistrados do tribunal especial da ONU estabelecido em Serra Leoa conduzirão o julgamento em Haia. O TPI cederá somente as salas de audiência e uma cela durante o julgamento.Taylor, de 58 anos, vivia exilado na Nigéria desde agosto de 2003 e foi detido em março deste ano pelas autoridades nigerianas quando tentava escapar para Camarões. Ele foi entregue ao Tribunal Especial de Serra Leoa, que o acusa de onze crimes de guerra e contra a humanidade, devido ao seu papel durante a guerra civil neste país africano, entre 1991 e 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.