Técnico norte-americano isenta chineses por tragédia

Hugh McCutcheon isentou os chineses pelo assassinato de seu sogro, Todd Bachman, e pela agressão à sogra, Barbara, no sábado, num ponto turístico de Pequim. O treinador da seleção masculina de vôlei dos Estados Unidos manifestou-se pela primeira vez, ontem, por meio de uma carta aberta divulgada à imprensa.O técnico norte-americano não quis entrar em detalhes sobre a tragédia do fim de semana, mas agradeceu ao apoio de todos e fez questão de mostrar que considerou o caso isolado, sem, em nenhum momento, jogar a culpa na segurança da capital chinesa e dos Jogos."Durante esse momento tremendamente difícil, temos sido apoiados por pessoas e entidades, que vêm nos ajudando e fazendo orações", declarou McCutcheon, em documento assinado com sua mulher, Elisabeth. "Somos profundamente gratos à embaixada americana, ao presidente Bush, ao COI, ao Comitê Organizador de Pequim, à seleção de vôlei, à Federação Internacional de Vôlei e, especialmente, ao povo de Pequim."O governo chinês ficou constrangido com o grave incidente e seu presidente, Hu Jintao, pediu desculpas pessoalmente a George W. Bush. As autoridades trabalham pesado para prestar esclarecimentos sobre o assassino, Tang Yongming, de 47 anos, e os motivos do crime. A polícia de Hangzhou, leste do país, região em que Tang nasceu, divulgou ontem informações sobre traços de sua personalidade, por meio da agência oficial de notícias Xinhua. "Ele havia perdido toda a esperança depois de uma série de fracassos em sua vida e descarregou a ira contra a sociedade."Tang trabalhava em uma máquina de fábricas, mas pediu demissão e vivia difícil situação financeira. Casou-se e separou-se duas vezes. Seu filho, de 21 anos, foi condenado a seis anos de prisão, em março, por roubo. A polícia acredita, assim, que o crime fica esclarecido e afasta completamente a hipótese de motivação ideológica - antiamericanismo - ou ato terrorista.SograTodd foi morto a facadas pelo chinês Tang Yongming - que se suicidou - e Barbara acabou agredida, mas se salvou e está internada num hospital de Pequim. De acordo com boletim médico, sua situação melhorou consideravelmente ontem, embora ainda seja grave. McCutcheon não dirigiu os Estados Unidos na estréia do torneio olímpico e tem passado a maior parte do tempo com a mulher, Elisabeth, e a sogra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.