Teerã assume e, em seguida, desmente caso

A explosão que teria sido registrada ontem na cidade iraniana de Isfahan ainda está coberta de mistério. As confirmações e desmentidos e a falta de informação sobre o incidente fez crescer na imprensa internacional os rumores de que as instalações nucleares de Isfahan teriam alguma relação com o caso.

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2011 | 03h03

Segundo as primeiras notícias veiculadas pela agência Fars - órgão ligado à Guarda Revolucionária, a força pretoriana da República Islâmica -, uma "forte explosão foi ouvida em várias partes de Isfahan por volta das 14h30" (8 horas no Brasil).

A nota publicada citava uma das principais autoridades da prefeitura, Mohamed Mahdi Ismaili, que confirmava a ocorrência e dizia que o caso estava ainda "sob investigação das autoridades".

Horas depois, quando a imprensa ocidental e israelense passou a noticiar o caso, a Fars simplesmente retirou a matéria de seu site. O próprio Ismaili teria dito à agência Mehr - também controlada pelo regime - que não tinha informações sobre nenhuma explosão.

Confusão. No entanto, o regime não avisou as autoridades do Judiciário sobre o desmentido. Enquanto funcionários do governo negavam o caso, a agência de notícias Irna - outra ligada ao regime de Teerã - citou o juiz Gholamreza Ansari confirmando ocorrência de uma explosão.

"Esta tarde, houve um barulho similar ao de uma explosão, mas não temos informação das forças de segurança sobre de onde exatamente partiu esse estrondo", teria afirmado Ansari. Uma outra agência iraniana noticiou ontem que o estrondo foi provocado por um acidente durante "treinamento". / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.